terça-feira, 24 de abril de 2012

Fora de casa!












Créditos: Simplypix, Claudiaroma, The little corner, Interiors porn e Tiny white daisies.

domingo, 22 de abril de 2012

Uma prece - Ana Jácomo



Que os meus instantes de egoísmo se desmanchem cada vez mais rápido.
Que as minhas expectativas não sejam maiores do que a intenção de que o outro esteja tranquilo.
Que a paz que ele possa experimentar seja sempre um perfume que acenda a minha alegria.
Que o seu conforto seja também um motivo que continue inspirando os meus gestos mais doces e amigos.
Que nenhum gesto meu aperte o seu coração, intimide o seu riso, acorde o seu medo, machuque a sua espontaneidade.
Que as minhas vontades pequenas sejam dissipadas pela lembrança do quanto a sua felicidade me importa.
Que ele saiba que, invariavelmente, pode contar comigo, nos tempos de celebração e na travessia das longas noites escuras.
É dele também a minha mão.
É dele também o meu abraço.
É dele também a minha escuta.
É dele também o meu olhar amoroso.
É dele também os meus melhores sorrisos.
Que ele entenda que eu não me desapontarei com a sua humanidade, com as suas dificuldades, com os seus territórios feridos, como, com o mesmo acolhimento, não me desaponto com os meus.
Que tenha certeza de que eu quero muito que seja livre, saudável, contente; que seja.
Que tudo aquilo que o preocupa, o desassossega, o faz sofrer, por Deus, seja logo transformado, assim como tudo o que o torna feliz seja mais e mais abençoado.
Que alcance toda expansão que busca, todo voo que vislumbra, e possa sempre se lembrar de que é capaz de vencer os mais assustadores e impermanentes limites.
Que quando todo dia acordar e deitar pra dormir, ele ouça eu dizer o seu nome baixinho nas minhas preces, e sorria por isso daquele jeito bonito.
Que, não importa o tamanho da distância, nunca esqueça que o fato de existir mudou pra sempre a minha vida e que o mundo me pareceu muito mais bacana depois que descobri que existia.
Que se saiba amado muito além do de vez em quando, do por causa de, do se.
Que se sinta amado como é, não interessa com que cara a circunstância esteja.
Que se sinta amado simplesmente porque é.
Que tenha paz.
Que tenha paz.
Que tenha paz.
Ah, é claro, que tenha paz e acesso à alegria mais sincera também. 
Amém.

Ana Jácomo

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Crochê e arte









Crédito: Adaiha

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Se você ama, diga que ama - Ana Jácomo


Se você ama, diga que ama. Diga o seu conforto por saber que aquela vida e a sua vida se olham amorosamente e têm um lugar de encontro. Diga a sua gratidão. O seu contentamento. A festa que acontece em você toda vez que lembra que o outro existe. E se for muito difícil dizer com palavras, diga de outras maneiras que também possam ser ouvidas. Prepare surpresas. Borde delicadezas no tecido às vezes áspero das horas. Reinaugure gestos de companheirismo. Mas, não deixe para depois. Depois é um tempo sempre duvidoso. Depois é distante daqui. Depois é sei lá...
Ana Jácomo

sexta-feira, 13 de abril de 2012

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Se não soubermos com palavras... Ana Jácomo


E se não quisermos, não pudermos, não soubermos, com palavras, nos dizer um pouco um para o outro, senta ao meu lado assim mesmo. Deixa os nossos olhos se encontrarem vez ou outra até nascer aquele sorriso bom que acontece quando a vida da gente se sente olhada com amor. Senta apenas ao meu lado e deixa o meu silêncio conversar com o seu. Às vezes, a gente nem precisa mesmo de palavras.

Ana Jácomo

Reaproveitando latas!

















Créditos: Kika Reichert, Petitevanou, Something green, Tule de ló, Café no Hut, Casa e Jardim, Gypsy purple home e Litlle Blue Deer.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Cozinhas














Créditos: Casa e Jardim